Início . Peça do bimestre


Colecção Escolar


O Estado Novo herdou uma elevada taxa de analfabetismo que o regime republicano, não obstante os vários esforços empreendidos, deixara por resolver.
Em 1950 a taxa de analfabetismo em Portugal rondava ainda os 40%, uma das maiores da Europa. É com o intuito de reduzir este número que, em 1952, é lançada a Campanha Nacional de Educação de Adultos e o Plano de Educação Popular.
Integrados nestas acções, que por um lado visavam o combate ao analfabetismo e por outro proporcionar a aquisição de conhecimentos a adultos com um baixo nível de escolaridade, são publicados os livros da Colecção Educativa. Em formato de livro de bolso e imbuídos de uma forte carga ideológica e doutrinal, esta foi também uma forma de propagandear a ideologia do Estado Novo.


    alt              alt
 


Os cerca de 115 títulos desta colecção estavam subdivididos por diversas séries e incluíam temas como a História de Portugal, a cultura portuguesa, as tradições familiares, a agricultura e a pecuária, entre outros.
Todos eles tinham em comum, na primeira página, uma citação de António de Oliveira Salazar que, nos momentos mais quentes do pós-25 de Abril, foram arrancadas e muitos livros foram mesmo totalmente destruídos.
Os exemplares que aqui apresentamos foram recolhidos em várias escolas primárias do concelho de Coruche, algumas já desactivadas, integrando agora a colecção de Material Escolar do Museu.
No núcleo Escola-Museu Salgueiro Maia, em S. Torcato, estão expostos alguns destes livros que pertenciam à Biblioteca Escolar.


1. Livro “A Horta”, da Colecção Educativa, onde é perceptível o corte da folha onde se encontraria a citação de Salazar
2. Livro “Emigração”, da Colecção Educativa, conservando ainda as palavras de Salazar


 
Actualizado em Quinta, 09 Dezembro 2010 10:18