Início
 
Curta Metragem

A cafetaria do Museu Municipal de Coruche teve patente ao público, entre os dias 8 e 29 de Março, a exposição de pintura Curta Metragem, da autoria de Júlia Calçada.
 
Natural de Merceana, concelho de Alenquer, onde nasceu em 1955, é residente em Arruda dos Vinhos. Em 2003, por impulso, descobriu o que é hoje a sua verdadeira paixão: a pintura.
 
Inicia em finais de 2005, em Oeiras, um curso de desenho e pintura ministrado pela pintora Duma. Só em 2006 teve o seu primeiro contacto com a pintura a óleo. Rendeu-se em absoluto e em especial à técnica que tem vindo a desenvolver: um estilo realista, monocromático, de óleo sobre tela.
 
Incentivada pela sua professora, apresenta, no ano de 2007, no concelho de Alenquer, a sua primeira exposição O espectáculo vai começar. Segue-se-lhe, nesse mesmo ano, no Cadaval, a exposição 2.º Acto, e uma outra, colectiva, na Junta de Freguesia do Estoril. Em 2008 torna públicaa exposição Re-flectir, no Palácio do Infantado em Samora Correia.
 
Curta Metragem é a sua quarta exposição individual. Ao aproveitar este tema delicado pretende transmitir mais algum sentimento para além da dança. O poder da transmissão de movimento, da luz e das texturas, da representação da figura feminina sem rosto, sem que para isso tenha que identificar idades, expressões, mas apenas atitudes corporais e espirituais que delas emanem, são características que utiliza como fio condutor de partilha das emoções deixadas em cada tela.
 
Manifestando-se como uma personalidade inquieta, encontrou na pintura o seu porto de abrigo, o antídoto para a sua inquietação.

alt
Actualizado em Quinta, 05 Agosto 2010 11:02